Shows

cabare-mini

Cabaré

06 de Julho

Grandes shows de renome nacional farão parte da grade da Expo. A escolha se deu através de inúmeras pesquisas no cenário musical brasileiro e prometem agitar. Serão cinco noites de shows, incluindo um gospel.

A festa será aberta pelo fenômeno Cabaré no dia 06 de julho, considerado o maior show do Brasil. Foi em 2014 que Leonardo e Eduardo Costa realizam o sonho, e gravam juntos o projeto CD/DVD Cabaré.

“Um degrau na Escada” foi a primeira música de trabalho deste álbum. A dupla é fenômeno por onde passa. Com um show irreverente, contagiante e alegre, “Cabaré” é sucesso não só de mídia, como também de público. A temática toda gira em torno de um “Cabaré”, estilo Europeu (Moulin Rouge). Desde o cenário, nos vídeos e até o repertório que traz músicas que de alguma forma remetam à casa noturna. A química entre eles é notória seja nas piadas que intercalam muitas das canções – dando um clima também de stand up comedy – ou na maneira em que as vozes de ambos se encaixam. Como os próprios artistas costumam falar, o Cabaré nada mais é do que cantar músicas antigas, aquelas que todos cantam em casa, que gostam de verdade.

JoaoBoscoeVinicius-mini

João Bosco & Vinícius

07 de Julho

Nos dias seguintes, sobem ao palco respectivamente, João Bosco e Vinícius no dia 07. Houve uma época em que estima-se que oito em cada dez CDs vendidos nos camelôs de Campo Grande eram assinados Por João Bosco e Vinicius. Houve uma época (se bem que ainda há essa época) em que a chance de você ligar o rádio e topar com uma canção da dupla é/era imensa. A vida dos dois trafega por esses altos e altos desde que tinham 12 anos de idade, há duas décadas.

Eles se conheceram em Coxim, no Mato Grosso do Sul, onde moravam. Foram rivais num Festival da Canção da cidade. Quis o destino que se unissem em segundo lugar no resultado final. A união só aconteceu mesmo quando mudaram para a capital do Estado, Campo Grande, onde um (João) foi cursar Odontologia e o outro (Vinicius, claro) foi fazer Fisioterapia.

Mais que nas salas de aula, o destino de ambos estava nos barzinhos da cidade, onde começaram a se apresentar em 1999 na leva inicial daquilo que ficou conhecido como Sertanejo Universitário.

“Acústico no Bar”, primeiro lançamento dos dois, saiu em 2002. Resultado não poderia ser outro. Vendeu como Coca-Cola no deserto na cidade.

edsonehudson-mini

Edson e Hudson

08 de Julho

Edson e Hudson entram no palco no dia 08. Nascidos e criados em família circense, os irmãos Cadorini tiveram grande apoio do pai, o palhaço e acrobata Beijinho, que percebeu o carisma e o talento dos filhos ainda quando crianças. Incentivados pela família, começaram a cantar desde muito novos. Inicialmente, utilizavam os pseudônimos de Pepi e Pupi e apresentavam-se em praças públicas, bares, rodeios, bailes e em circos. Acostumados desde cedo aos espetáculos e à estrada, logo adquiriram a experiência necessária para mostrar o potencial que tinham para a música.

Em 1991, já como Edson & Hudson, passaram pelo show de calouros de Raul Gil, onde tiveram a grande oportunidade de serem vistos e ouvidos pelo grande público. A voz poderosa e afinada de Edson unida aos riffs de rock da guitarra de Hudson (a época nada usuais na música sertaneja), chamaram logo a atenção do público e dos formadores de opinião. Essa mistura acabou se tornando o grande diferencial da dupla e marcou um estilo que revolucionou o mercado sertanejo, atraindo e influenciando uma nova geração de seguidores e artistas. Outro fato importante que ajudou a alavancar ainda mais a popularidade da dupla foi a explosão do mega hit “Azul” nas principais rádios do Brasil

VictoreLeo-mini

Victor & Leo

09 de Julho

E no dia 09 Victor e Léo encerram os shows sertanejos. Os irmãos Vitor Chaves Zapalá Pimentel (15/04/1975) e Leonardo Chaves Zapalá Pimentel (04/10/1976), criados em Abre Campo-MG e nascidos em Ponte Nova-MG, representam uma grande renovação no cenário musical a partir do final de 2006, quando se despontam nacionalmente.

 

Ambos são compositores, produtores, cantores e arranjadores, sendo eles mesmos os responsáveis pelo concebimento da maioria de seus trabalhos.

 

O início da dupla se deu na cidade em que os irmãos foram criados, Abre Campo-MG, em 1992.

 

Em 1994 mudaram-se para Belo Horizonte, onde estudaram canto por 6 anos e se apresentaram na noite até 2001, quando foram para São Paulo-SP.

 

Em São Paulo, gravaram seu primeiro CD por um pequeno selo, já extinto, chamado Number One, a convite do casal Eduardo Araujo e Silvinha Araujo, que os ouviram na noite de Belo Horizonte.

 

Em 2003, gravaram um CD independente chamado Vida Boa, que era vendido nos bares em que se apresentavam.

 

Em 2005, já com um público cativo na noite paulistana, a dupla grava um CD ao vivo, Victor & Leo ao vivo, que despontaria para todo o Brasil em meados de 2006, espalhando-se na pirataria e de pessoa a pessoa, chamando a atenção pela originalidade do som e das canções, em maioria de autoria de Victor Chaves.

 

Três canções principais brigavam pelo primeiro lugar em diversas regiões do país, ao mesmo tempo, neste momento: Vida Boa, Fada e Amigo Apaixonado.

 

Em 2007, gravaram seu primeiro DVD, Ao Vivo em Uberlândia, tendo nesta cidade, uma forma centralizada para o acesso do público de diversos estados, além de se fixarem de vez, a partir deste mesmo ano.

 

Desde então, como uma das duplas de maior importância do país, bateram recordes de público jamais quebrado, em todas as regiões e estados do país e alcançaram diversas premiações, desde o Prêmio da música brasileira ao Grammy, tendo 7 trabalhos indicados como melhor álbum.

O Show gospel ocorrerá no dia 10 e ainda está por definir a atração.